Shingeki no Kyojin, uma obra repleta de ação e suspense, um sucesso no oriente e ocidente, surpreende a cada momento e nos mostra que ainda há muito o que ser descoberto para compreender esse mundo repleto de mistérios.

Observando dessa forma, podemos ver um encaminhamento progressivo da primeira temporada à segunda, mostrando e evoluindo da fechada e limitada vida dentro das muralhas para um desenvolvimento real fora delas e aos poucos descobrindo pequenos pedaços da verdade que cerca tudo aquilo que limita, entrava, faz-se temer, força o desenvolvimento e gera milhares de mortes: os Titãs, ou caso a teoria se confirme, os próprios seres humanos.

Essa progressão na trama ocorre de forma gradual, porém pontualmente vemos o desenvolvimento a respeito dos titãs que invadiram a muralha ganharem destaque ao longo dessa segunda temporada.

Pode-se dizer de maneira mais simplista, ao se abstrair os demais desenvolvimentos gerados nessa continuação, que o real foco até esse momento foi a descoberta inicial do funcionamento e da relação dos titãs com o os ataques sofridos dentro das muralhas. Dessa forma, da-se por resolvido os problemas que de maneira geral prendiam os personagens dentro das muralhas e cria uma ponte -caracterizada por Reiner e Bertolt- para o mundo exterior, tendo ainda como objetivo primordial o porão do pai de Eren.

Sendo assim vemos com certo alivio que após tamanho mistério atrás de mistério, e o autor sempre deixando as respostas para depois, temos um real desenvolvimento na estória.

Shingeki até o momento apresentou muitas informações. Estas que criaram pontas repletas de mistério graças as respostas raro efeito que o anime ao decorrer dos 12 episódios mostrou.

Porém, ocupando o lugar das respostas e resoluções de enigmas, SnK foi como sempre repleto de diversos momentos de ação, ditando dessa forma o desenvolvimento e a movimentação do enredo, uma qualidade que nunca deixará o telespectador entendiado e irá suprir por hora a fala de explicações.

Misturado a toda essa agitação encontra-se um dos pilares de toda a empolgação ali gerada: suas OSTs de impacto sempre apresentadas com extrema precisão atreladas ao bom jogo de câmeras, característicos de uma direção que sabe comandar um anime de ação.

Entretanto nem tudo merece elogios, mesmo em Shingeki, um anime que poderia receber criticas devido a problemas em seu enredo e seu character desing com olhos esbugalhados, a maior reclamação se dirige a sua animação, em vários casos substituída da fluides dos golpes pelas dezenas, senão centenas, de quadros estáticos presentes em cada momento, principalmente em supostas cenas mais dramáticas, onde é deixado apenas a fala dos personagens com alguns enfoques e zoons na imagem.

Muitos podem se acostumar ou até conseguir entrar no clima que geralmente essas cenas tentam criar (por mais que seu uso não seja proposital e sim mais por necessidade). Contudo deve-se deixar claro suas extremamente visíveis falhas e a quebra de clímax gerado em diversas situações.

No entanto, tirando o foco da parte técnica, fica-se o questionamento do que irá ocorrer em uma terceira temporada. Quem é realmente o titã com pelos? O que é esse poder, bem conveniente diga-se de passagem, do Eren? O que há além das muralhas? O que é esse local que aqueles que estavam tentando levar o protagonista, como também a Ymir, chamavam de “casa”?

Há muito o que se responder, muitos mistérios ainda estão abertos e certamente tem muita coisa para acontecer ainda. Com isso ficamos na expectativa do que essa popular série poderá nos prover.

Direção: 9/10

Enredo/Narrativa: 7/10

Trilha Sonora: 8/10

Entretenimento: 8.5/10

Animação 7.5/10

Nota final: 8.5/10

*Critério de notas -> Aqui

Autor: @Arthurcs10

comentarios

Curta nossa página no Facebook : Nome Temporário

Siga nosso Twitter : @NomeTemporario2

Anúncios